segunda-feira, 3 de dezembro de 2012



"Mas há a vida que é para ser intensamente vivida, há o amor. Que tem que ser vivido até a última gota. Sem nenhum medo. O amor, não mata"
 

Acho que não existe segredo nenhum. Existem dias bons e dias maus, dias em que somos bombardeados de recordações e outros em que o vento consegue levar a maior parte delas, dias em que os fantasmas da nossa alma nos raptam e outros em que esses mesmos nem se lembram de nós. 
Assim, como não existe segredo nenhum para deixar de chorar a tua partida e lembrar-te apenas com um sorriso nos lábios e, às vezes, no coração. Não existe, simples. Dizer-te que a tua partida com o passar do tempo é amainada é mentira, dizer-te que dói cada vez mais, chega a ser mentira também. Porque tanto choro e desespero a tua partida como sorrio por teres sido tu a pessoa que me aqueceu tantas vezes a alma e o coração. Por isso não existe o milagre que todos falam, a fantasia de que tudo se esquece, a loucura de que não dói mais porque, e sucintamente, desde que partiste tem sido uma verdadeira constante de dor e uma mista de saudade e orgulho. Uma agonia que não desprende o coração e uma mágoa que fere todos os poros em que alguma vez tocaste. A verdade é que a maioria das vezes não consigo largar a tua fotografia, a maioria das vezes durmo com ela agarrada a mim e isso faz-me sentir mais forte. A verdade é que existem dias em que dava um mundo para te ver, a minha vida para te tocar. Em que tudo chega a ser confuso, chega a ser uma mistura de sentimentos que me destroem a calma que me chega dos dias em que sorrio por teres sido tu quem me segurou o coração durante tanto tempo. Apenas, não existe nenhum segredo. Nenhum segredo para deixar de chorar a tua partida, nenhum segredo para parar as lágrimas que caem sem conseguir parar. Nenhum segredo proporcional à tua partida. Existem é dias que correm com a calma do horizonte e outros que parecem que estagnam na dor de magnitudes de 10 na pior escala no mundo. Dias de orgulho, dias de um completo mau estar físico e emocional. Que faço eu para desvendar esta saudade que teima em não me abandonar? Que faço eu? 
Não existe nenhum segredo, mas se ao menos existesse...

7 comentários:

  1. Olá Daniela,

    Cada dia que passa surpreendes-me mais com a tua escrita, com a forma que tens de exprimir sentimentos por entre as palavras que tão bem escolhes. Ainda tu dizes que não tens jeito? Para mim tu tens um dom, que descobriste, agora é só te agarrares a ele e continuares a falar de amor.

    Um beijinho :)*

    ResponderEliminar
  2. Estás de Parabéns pelo belo texto que escreveste. Beijinhos <3

    ResponderEliminar
  3. chorei com este texto, sabemos o quanto nos identifica. Que bonitas palavras. Isto é literatura :')

    ResponderEliminar
  4. gostei muito do teu blog, sigo-te querida*

    ResponderEliminar

"Presenteia-me com Amor." <3